segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pés tortos!

Já sabemos que uma grande porcentagem de portadores de mielomeningocele desenvolvem pés tortos congenitos que podem ser bilaterais ou em apenas em um dos pés.

Nosso garotinho nasceu com pés tortos congenitos bilaterais. Com "sorte" descobrimos com 20 semanas de gestação a tempo de pesquisar um pouco sobre os tipos de tratamentos disponíveis suas vantagens e desvantagens. "Vou conversar de médica para médico" pensei eu!
Lembro que me assustei quando uma médica falou "não se preocupe com o pé torto, o médico quebra os ossos em várias partes, opera e engessa bem certinho". Tinha que ter outra forma, ouvir isso foi terrível!!!

O objetivo desta postagem não é o de indicar o melhor tipo de tratamento, mas sim de apresentarmos nossa experiência, e se ela ajudar alguém, terá sido válido!


Tratamento cirurgico tradicional
A maioria dos cirurgiões concordam que a melhor idade para tratamento cirúrgico é entre três meses e um ano de idade. A cirurgia consiste de alongamento de tendão e liberação de ligamentos e da cápsula articular retraída. No pós-operatório, o pé é imobilizado com gesso por três meses. A alta do hospital é precoce, mas a criança deve continuar sendo observada em casa. No caso de febre, aumento da dor, aumento do edema acima e abaixo do gesso, drenagem de secreções ou dedos dos pés frios, a criança deve ser reavaliada pelo ortopedista. A possibilidade de infecção ou compressão pelo gesso será investigada. O resultado da cirurgia é, geralmente, satisfatório, mas existe possibilidade de recorrência (recidiva) com o crescimento.
Normalmente pés tratados cirurgicamente apresentam quadro de rigidez e dores a partir da segunda década de vida. (isso nós não queremos)!
Técnica de Ponseti (optamos por essa técnica)
Esta técnica foi desenvolvida pelo ortopedista espanhol Dr Ignacio Ponseti que dedicou vários anos ao estudo da biomecânica do pé torto congênito, estes estudos resultaram nessa técnica de tratamento conservador, com manipulações artesanais e indolores do pé objetivando pés com aspecto normal, indolores, e com mobilidade.
No livro de Ortopedia Pediátrica lançado pela SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) no Congresso Brasileiro de Ortopedia em Recife, em out/nov de 2003, a técnica de Ponseti é apontada como melhor forma de tratamento conservador para o pé torto congênito idiopático.
O tratamento deve ser iniciado logo após o nascimento (no caso de Vini iniciamos com 15 dias devido a outras complicações da mielo) com manipulação seriada e gesso, a cada semana, o pé da criança é suavemente estendido pelo ortopedista e a deformidade vai sendo corrigida gradativamente. Após cada manipulação é feita imobilização com gesso. A resposta a este tipo de procedimento é boa em muitas crianças. Normalmente o tratamento seriado com gesso dura entre 05 a 09 semanas, no caso de Vinícius foram necessárias aproximadamente 18 semanas por se tratar de pés rigidos e paralíticos. Após a manipulação com gesso o paciente é submetido a uma pequena cirurgia para "liberação" do tendão de
Aquilis, chamada Tenotomia, passamos por mais três semanas seguidas de gêsso sem a troca semanal para que o tendão cicatrize na posição correta.
Concluida a primeira etapa passamos para uma segunda, e muito importante, com o uso de um aparelho chamado Órtese de Denis Brown, este aparelho tem o objetivo de evitar a recidiva (e acreditem se não for utilizado corretamente a recidiva ocorrerá), deve ser usado 24h por dia (podendo ser tirado apenas na hora do banho) durante 03 meses seguidos e durante 04 anos somente para dormir.

Quando não se consegue uma boa posição do pé com manipulação seriada e gesso, o tratamento cirúrgico deve ser considerado.




Dicas: Cuidados com a higienização para evitar que o gesso suje de fezes ou urina,
          Nunca levantar as pernas puxando pelo gesso, pois este pode se deslocar e prejudicar o tratamento,
          Dar um bom banho entre a troca semanal dos gessos, no nosso caso, ele tomava banho na clínica!
          Observar frequentemente se os dedos dos pés estão com aparencia normal, com circulação sanguinea adequada, se não estão roxos ou pálidos, se a temperatura dos dedos está normal.

8 comentários:

Adriana disse...

Sheyla e Mano,
Parabéns pelo blog!!! Certamente o relato da experiência de vcs vai ajudar muitos pais a enfrentar os desafios que a mielomeningocele
impõe.
Bjus
Tia Adri

Anônimo disse...

Parabéns a vocês pela dedicação.
também tenho um filho que hoje esta com 1ano e 9 meses que também nasceu com pés tortos congênito bilateralmente.
Ele nasceu com 7 meses por causa de envelhecimento precoce da placenta e pressão alta da artéria uterina.
descobri na 20ª semana que eu tinha esses problemas e que meu filho tinha pés tortos.
No começo foi um desespero para mim, e por muito tempo fiquei sem chão...
Mas enfim, ele nasceu, e logo após 20 dias na uti, fomos ao ortopedista para darmos início ao tratamento.
Ele usou gesso durante 4 meses (trocando a cada semana), logo após fez uma cirurgia para soltar os tendões, e usou gesso durante 40 dias sem trocar e começou a usar o aparelho Denis Brown, usou também até comerçar a andar com 1 ano e 1 mês.
Ele fez fisioterapia quase 1 ano e hoje dou graças a Deus por meu filho andar normalmente.
Estamos apenas esperando uma posição do médico em Fevereiro, pois o tendão da parte de cima do pé direito, segundo ele, esta rígido e ainda puxa um pouco para dentro, então ele fará uma avaliação pra ver se há necessidade de fazer uma nova cirurgia ou não.
Mais estou confiante em Deus que não vai precisar de fazer.
Um grande abraço
e que continue dando tudo certo para o seu filho também
Marcela Goulart
marcela_recepcao@hotmail.com

Anônimo disse...

Parabéns pelas informações estou gestante de 6 meses e meu bebe também tem mielomeningocele, com pes tortos congênitos e estava pesquisando sobre a doença e os tratamentos disponíveis .Realmente ficamos chocadas com o diagnostico já que trata-se de uma doença seria e que compromete muito o sistema motor dessas crianças especiais,já chorei todo meu desespero e graças a pequenas esperanças como seu lindo blog me sinto mais animada e com minhas esperanças renovadas,assim como toda vez que ouço o coracaozinho do meu bebe a cada ultrassom, a cada chutinho que ele da, isso de sentir esse anjinho lindo e VIVO dentro de mim. Muitas bênçãos a você e a seu pequeno anjinho, beijos!

Anônimo disse...

PARABÉNS PELO BLOG DE VCS!!!!
EU TAMBÉM JÁ PASSEI POR ISSO COM MEU FILHO, HJ ELE TEM 7 ANOS E NINGUEM FALA QUE ELE NASCEU COM OS PES TORTOS. NO COMEÇO ME ASSUSTEI POIS NUNCA TINHA VISTO ISSO, ACHAVA QUE ERA UMA COISA DE OUTRO MUNDO, SOFRI MUITO MAS GRAÇAS AO SENHOR HJ MEU FILHO É PERFEITO E CHEIO DE SAUDE.
HJ ESTOU GRAVIDA DE 4 MESES,
E TEMO TER QUE PASSAR POR ISSO DE NOVO.
SERÁ QUE ISSO PODE ACONTECER NOVAMENTE? QUAIS SÃO AS CHANCES?

Anônimo disse...

Os pés de Viníus voltaram completamente a ficar tortos e o tratamento cirurgico é inevitável, posts posteriores falam a respeito.

Então o tratamento de gesso seriado foi bom neste momento mas não foi definitivo para Vini...

Abraço
Mãe de Vini

Anônimo disse...

Estou com 3 meses de gravidez e uma suspeita de mielomeningoceli, tenho pesquisado bastante sobre a doença e isso tem me trazido muito conforto... Ainda não foi confirmado, mas sabemos que ele tem uma má formação no polo cefálico. Peço a Deus que meu bêbe não sofra, mas ele é muito amado independente de qualquer coisa...

Anônimo disse...

oi gostaria de saber se vc tem o ararelho do seu menino,.ele ele esta usando ainda ou não, porque tenho um irmão que teve um filho, ele nasceu com os dois pés torto congênito e ele não tem condição de comprar a botinha se poderia emprestar.

Anônimo disse...

tb tenho um filhinho de 4 anos..passando por mais uma cirurgia de PTC... tratamos dele desde 27 dias de vida..o caso dele foi cirurgico mesmo..ele ja fez 2 tenotomias e nao adiantou..dai fez mais 2 em cada pe com pinos pontos... ta andando bem..mas o pe ainda fica um pouco tortinho p dentro..mas Graças a Deus por tudo!! só tenho medo de ter outro assim...alguem ja teve o segundo assim?

Postar um comentário